Pupin debate ações de mobilidade e implantação de ciclovias

O prefeito Roberto Pupin e o presidente da Câmara, Chico Caiana se reuniram nesta terça-feira (9) com representantes da Associação dos Ciclistas do Noroeste do Paraná (Ciclonoroeste), do 4º Batalhão da Polícia Militar, da Sociedade Médica e da Justiça Federal. O objetivo foi debater ações de mobilidade urbana que podem ser executadas na cidade e conversar sobre a ampliação do sistema cicloviário. 
O coordenador da associação, Omar Hadaya, entregou ao prefeito um manifesto pelo direito à mobilidade, assinado por 40 entidades, associações e instituições da sociedade civil organizada, entre elas a Ciclonoroeste, Justiça Federal, 4º Batalhão da Polícia Militar, Acim, Sociedade Médica, OAB, Observatório Social, UEM, Arquidiocese e Opem.

 “Queremos parabenizar e agradecer ao prefeito pelas ações já implementadas e reforçar que estamos unidos a favor dos projetos de mobilidade e da implantação de mais ciclovias. Participamos de reuniões todas as semanas na Prefeitura e sabemos do comprometimento da administração municipal com essa causa”, afirmou. Hadaya também ressaltou que agora as principais reivindicações são quanto à expansão dos espaços para uso da bicicleta como meio de transporte e a criação de mais conectividade entre as ciclovias, para que a estrutura já existente possa ser melhor aproveitada. O manifesto trata da mobilidade como um direito fundamental estabelecido pela Constituição Federal, Estatuto das Cidades e Plano Diretor. E solicita à Prefeitura que mantenha ações permanentes pela mobilidade urbana, incluindo principalmente a ampliação e a manutenção da malha cicloviária. O prefeito Roberto Pupin destacou que a administração municipal se abriu muito para o grupo defensor da bicicultura e tem agido pela mobilidade urbana sempre projetando o incentivo ao uso da bicicleta como transporte. “Traçamos um Plano Cicloviário prevendo a ampliação da malha cicloviária de 15 para 87 km, entregamos a ciclovia da avenida Brasil e temos mais projetos de ciclovias para Maringá”. “Estamos avançando muito e quebrando paradigmas, incluindo ciclovias em todas as nossas obras de mobilidade, estudando outras opções e buscando alternativas para melhorar o trânsito, com abertura para outros modais. Como gestor, preciso tomar decisões pensando na melhor forma de acomodar a todos e fazer a somatória das necessidades em benefício de toda a população”, reiterou.

Nenhum comentário: