HU de Maringá retoma greve e para

Os servidores do Hospital Universitário (HU) de Maringá, retomaram a greve contra o governo de Beto Richa (PSDB) nesta sexta-feira (15) e suspenderam todas as atividades eletivas a partir da segunda-feira (18). A decisão foi tomada em assembleia, com a participação de professores e servidores ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar). 
As consultas, os exames de radiografia e ultrassonografia, as cirurgias eletivas e as pesquisas em laboratório estão todas suspensas, sem data para retomada. Apenas os atendimentos de urgência e emergência seguem, de acordo com o sindicato. "Vamos lacrar todos os setores com atendimentos eletivos. Novas consultas não serão marcadas e todas as cirurgias sem urgência estão suspensas. O movimento de greve foi retomado, porque o governo está nos desrespeitando", afirma o presidente do Sinteemar, Celso Nascimento. 

Os servidores reclamam do reajuste proposto pelo governo, de 5%. Para eles, o valor deveria ser de mais de 8%. "É uma afronta, um desalento. Nós lamentamos profundamente a falta de diálogo com o governo. É interessante que todos compreendam que nós não gostamos de greve. Isso prejudica todo mundo. Mas, infelizmente, não temos outra saída", lamentou Nascimento. Na universidade, as aulas seguem suspensas, sem previsão de volta. O sindicato estuda enviar um pedido de suspensão de calendário letivo à reitoria, como aconteceu na Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Nenhum comentário: